Conheça um pouco mais sobre a FAGENIUS

CPA - Avaliação Institucional

A CPA é responsável por disseminar a cultura avaliativa na IES, através de processos de avaliação interna e de acompanhamento e análise das avaliações externas. A Comissão é constituída por ato do dirigente máximo da IES, possui Regulamento próprio e atuação autônoma em relação aos Conselhos.

  • Coordenador da CPA: Luiz Gonzaga Alves da Cunha;
  • Representante Docente: Eduardo Siqueira Martins;
  • Representante Técnico-Administrativo: Damárys Araújo Ferreira Barbosa;
  • Representante da Comunidade Civil: Débora Pollyanna dos Santos Nascimento.

PDI - Plano de Desenvolvimento Institucional

O Plano de Desenvolvimento Institucional, mais conhecido como PDI, consiste num documento em que se definem a missão da instituição de ensino superior, a política pedagógica institucional e as estratégias para atingir suas metas e objetivos. Abrangendo um período de cinco anos, deverá contemplar o cronograma e a metodologia de implementação dos objetivos, metas e ações do Plano da Instituição de Educação Superior (IES), observando a coerência e a articulação entre as diversas ações, a manutenção de padrões de qualidade e, quando pertinente, o orçamento.

MATRICULE-SE NA GRADUAÇÃO EAD

(31) 9 8944-3589

Regimento Interno

Regulamentos

Ouvidoria

A Ouvidoria é um canal de comunicação entre alunos, professores, colaboradores e toda comunidade acadêmica. Com o intuito de atender às necessidades gerais e individuais, o setor é responsável pelo recebimento de sugestões, elogios, opiniões e críticas sobre todos os aspectos do funcionamento da instituição, bem como para a melhoria dos serviços prestados e da vivência acadêmica de uma forma geral.

O objetivo da Ouvidoria da faculdade é ser mais um canal condutivo das opiniões, sugestões, reclamações e problemas da comunidade acadêmica da Instituição. A Ouvidoria receberá as informações concernentes a reclamações, elogios e sugestões pessoalmente por meio de caixa de sugestões ou pelo site no fale conosco e será encaminhado aos órgãos responsáveis, que vão encontrar soluções e dar o feedback ao cidadão dentro de um prazo previamente estabelecido.

Manifestar é o ato de expor, apresentar, declarar, tornar visível, publicar. A manifestação é uma forma de o cidadão expressar para a Ouvidoria seus anseios, angústias, dúvidas, opiniões. Assim, pode auxiliar a instituição a aprimorar a gestão de políticas e serviços, ou a combater a prática de atos ilícitos.

Em suas atribuições, a Ouvidoria da Ufopa prima pelo fortalecimento da democracia participativa na gestão pública e representatividade dos legítimos interesses dos servidores, dos alunos e da comunidade; pelo acolhimento e resposta efetiva às manifestações recebidas; pela satisfação das necessidades e garantia dos direitos dos cidadãos; pela cooperação com a Universidade; pela conciliação, discrição e confidencialidade; e pela imparcialidade, justiça e tratamento equilibrado.

As Ouvidorias Públicas existem em decorrência da norma constitucional contida no art. 37, §3º, I, III, da Constituição Federal que assim preveem: “A lei disciplinará as formas de participação do usuário na administração pública direta e indireta, regulando especialmente: I – as reclamações relativas à prestação dos serviços públicos em geral, asseguradas a manutenção de serviços de atendimento ao usuário e a avaliação periódica, externa e interna, da qualidade dos serviços; III – a disciplina da representação contra o exercício negligente ou abusivo de cargo, emprego ou função na administração pública”. Na Ufopa, a Ouvidoria foi constituída por meio da portaria 286 de 06/04/2013, vinculada à Reitoria e às normatizações e regulamentos editados pela Ouvidoria Geral da União, órgão vinculado à Controladoria Geral da União.

Não. A Ouvidoria não tem poder punitivo, não é sua competência apurar responsabilidades, instaurar sindicâncias, auditorias e procedimentos administrativos, com relação a essas questões, ela tem apenas a função de sugerir e recomendar, uma vez presentes indícios de irregularidade ou infração à lei, que os órgãos competentes façam a análise da demanda e decidam quais providências são adequadas ao caso.

Recomenda-se que o cidadão acione a Ouvidoria quando:
a) não obtiver, de modo satisfatório, qualquer tipo de serviço ou atendimento e que não tenham sido resolvidas em outras instâncias, na instituição;

b) tiver ciência de alguma irregularidade, infração à legislação ou às normas internas;

c) for vítima de alguma forma de discriminação e entender que quaisquer direitos tenham sido desrespeitados;

d) desejar encaminhar opinião, reclamação ou sugestão que possam contribuir para tornar a Universidade ainda melhor;

e) desejar enviar elogio a qualquer unidade ou servidor da Ufopa; ou

f) querer solicitar adoção de providência por parte da Administração.

Conforme dispõe a  Instrução Normativa nº 01 da Ouvidoria Geral da União, o prazo para resposta a uma manifestação é de 20 (vinte) dias, prorrogável por mais 10 (dez) dias, mediante justificativa. Caso não seja possível atendê-lo dentro deste prazo, a Ouvidoria deverá fornecer uma resposta intermediária, informando acerca dos encaminhamentos realizados e das etapas e prazos previstos para a resposta conclusiva da sua manifestação, ou solicitando informações adicionais.

Sim, a Ouvidoria da Ufopa pode receber denúncia anônima, esta considerada como aquelas que chegam a Ouvidoria sem a identificação do denunciante, no entanto, elas somente serão encaminhadas aos órgãos competentes desde que haja elementos suficientes para a verificação dos fatos.

Sim. A Ouvidoria assegura o sigilo na tramitação das manifestações formuladas pelos usuários, quando solicitado ou ex oficio, assim como restringe o acesso à identificação e demais informações do manifestante, quando solicitado, assim, as manifestações seguirão para os setores responsáveis sem o nome e demais dados do manifestante. Somente quando indispensável à apuração dos fatos, é que o nome do manifestante será encaminhado com a manifestação, e nesses casos o órgão demandado, ficará responsável por restringir o acesso à identificação do manifestante a terceiros.

Portarias e Resoluções

  • Portaria 01 2018 – Fagenius;
  • Portaria 01 2019 – Fagenius;
  • Portaria 02 2019 – Fagenius;
  • Portaria 03 2019 – Fagenius;